domingo, 7 de julho de 2013

Tdah: Adaptar-se a caixa ou lutar pela diversidade de formas?

Esse dilema faz parte da minha vida tanto quanto minhas frustrações.
Na tentativa de adaptar-se a um sistema homogêneo, que ignora as diferenças, tornei me fraca e presa.
Ao lutar pela diversidade, sem me declarar como diferente, perdi minha voz e a chance de pedir mudanças no ensino superior.
Como mudar esse quadro?
A discriminação e incredulidade da família e amigos me tornou precavida e receosa, tenho medo de me expor e prejudicar a minha causa: direito ao reconhecimento das diferenças no ensino. É injusto cobrar dos portadores de tdah o mesmo desempenho se não há esforço dos professores em mudar seu jeito de ensinar. E isso é tão nítido!
Todos sabem que não se pode ensinar cegos com imagens, mas insistem em ensinar tdahs com aulas entediantes que cortam sua criatividade. Rejeitam nossas ideias diferentes e questionadoras, nos enchem de regras para manter o controle e esconder que o fracasso não é do aluno tdah (por não aprender), mas sim do professor que não sabe olhar para as diferenças...