sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Feliz ano "novo"? Será?

Mais um ano se passou...
Erros foram repetidos e continuarão a ser, então o quê há de novo? Poderá ser a forma de olhá-los? Acredito que sim.
Nesses três anos de descoberta de ter tdah aprendi muito: percebi que minha vida nunca deixará de ser uma eterna luta mental, entre o que queria ser e o que posso ser.  Por isso, vou lançar algumas metas:
Primeira: Aceitar como funciono será sempre um desafio para mim e para os outros.
Segunda: Permitir ter meu tempo e jeito de fazer as coisas, ser indiferente ao julgamento desleal interno e externo...
Terceiro: tentar calar ou canalizar a enxurrada de pensamentos para evitar estar sempre rescrevendo por não estar atenta.
Quarto: fazer o que eu me propus fazer... Quer saber chega!
Ia escrever um post sobre a minha dificuldade de ver aonde vou chegar antes de começar a escrever, mas já vi que é impossível!
Meu cérebro parece um computador lento e quando tenho que abrir meu word para escrever não dou de cara com uma folha em branco, mas sim com uma cheia de informações misturadas e desconectadas.  Levo um tempão até tentar dar um pouco de coesão ao texto e, quando parece que vou conseguir, sem perceber, abro um outro texto mais confuso ainda que deveria ter conexão com o anterior (mas não tem) e passo horas lendo algo que não terá utilidade alguma para terminar o que me  propus a fazer... aff! Cansa!
E ainda tem pessoas que tem coragem de dizer que o tdah não existe ou que eu não tenho! Que vontade de socar essas pessoas! Realmente, depois de ver só o resultado da maratona mental, sem presenciar o início e o meio, fica difícil ver alguma hiperatividade mental!
Estou me torturando há uma semana porque não consigo sentar na frente do computador e terminar o que já está armazenado nos meus arquivos lentos do meu pc interno! Juntar as informações ou melhor,  separá-las das inúteis que as acompanham me traz um sensação de repulsa pelo que tenho que fazer; afinal sei o quanto desgastante isso é! Odeio ter que arrumar meus pensamentos, principalmente por não saber em que lugar colocá-los!
É, nota-se que minhas energias sempre serão gastas em grande parte só para organizar: coisas, pensamentos, ações, informações e emoções!
Então amigo tdah, feliz ano novo repleto de coisas velhas, mas cheio de um novo olhar a elas!